Crítica l WandaVision chega ao fim com episódio emocionante e 2 cenas pós-créditos

WandaVision reuniu milhares de teorias e easter eggs durante os últimos meses, e parece que a tática da Disney de estrear um episódio por semana deu certo! O episódio final de hoje é um dos mais esperados e, inclusive, fãs do mundo todo disputaram para assistir nos primeiros minutos.

Com referências a diversas sitcoms, Wanda criou o mundo perfeito nos subúrbios para poder ter uma vida normal com Visão, deixando pra trás os últimos acontecimentos e tragédias de “Vingadores: Ultimato”. O casal de super-heróis agora cumpre através de diferentes décadas atividades cotidianas, como trabalhar, cuidar da casa, socializar com vizinhos, adular o chefe, cozinhar, fazer um show de mágicas para a comunidade e engravidar de gêmeos.

Mas, nem tudo é o que parece e a série faz questão de mostrar que isso vale tanto para os personagens quanto para o público. Diversos episódios deixam pistas e a sensação de que essa “normalidade” é fake e está prestes a acabar, o que criou ainda mais expectativa, especialmente com todas as referências aos quadrinhos.

Quando o mundo exterior passa a querer interferir em Westview, surgem personagens importantes, levando a história para um novo rumo. Wanda deixa claro que tem o poder de manipular essa realidade, mas é nos episódios finais que descobrimos a fundo toda a verdade de como tudo isso aconteceu, além de é claro recapitularmos a história da personagem para enfim mostrar o seu verdadeiro potencial como Feiticeira Escarlate – algo que os fãs sempre pediram!

Elizabeth Olsen arrasa na atuação, seja pela veia cômica nos episódios iniciais ou quando explana todo o drama, sofrimento e força da personagem. Do primeiro ao último minuto, ela carrega o importante legado da heroína com maestria. Paul Bettany também traz uma atuação impecável, inclusive quando precisa interpretar um novo Visão, dando tudo de si no embate final. Grandes destaques também vão aos adoráveis e poderosos gêmeos Billy e Tommy, interpretados por Julian Hilliard e Jett Klyne, respectivamente.

Além disso, Monica Rambeau (Teyonah Parris), Jimmy Woo (Randall Park) e Darcy Lewis (Kat Dennings) retornam ao Universo Marvel e desempenham papéis cruciais na série. Mas, a chave principal é Agnes (Kathryn Hahn), vizinha misteriosa do casal que mais tarde se revela como a poderosa bruxa antagonista Agatha Harkness.

Com uma trama belíssima e inteligente, todas as peças da história se encaixam e tem um ótimo desenvolvimento, deixando ganchos incríveis nas cenas pós-créditos e fechando a primeira série do MCU com chave de ouro para mostrar que o poder da Marvel vive!

COMPARTILHAR