Resenha l Isso Que A Gente Chama de Amor

Temos a alegria de anunciar que fazemos parte do Time de Leitores do Grupo Companhia das Letras! Traremos com exclusividade diversos conteúdos sobre os principais lançamentos do ano. Para começar, recebemos o livro Isso Que A Gente Chama de Amor, novo romance contemporâneo da Editora Seguinte. Leia a seguir o que achamos da obra:

Escrita por Maurene Goo, a história acompanha Desi Lee, uma garota descendente de coreanos que está acostumada a se dar bem em tudo, exceto quando se trata de amor, já que sempre que interage com qualquer garoto acaba pagando diversos micos, como fazer comentários inadequados, tossir um jato de catarro ou deixar suas calças caírem. Inclusive, é isso que acontece com Luca Drakos, o novato misterioso que de imediato mexeu com o seu coração, mas que ela sentia que era inatingível.

“Eu acreditava, e ainda acredito, que é possível construir nossos sonhos tijolo a tijolo. Que se pode conseguir qualquer coisa com persistência. Inclusive se apaixonar.”

Como Desi acha que tudo pode dar certo quando você tem um plano e põe a mão na massa, ela decide deixar suas inseguranças de lado e dar a volta por cima. Sua estratégia é atrair Luca seguindo todos os passos comuns em qualquer romance no k‑drama, pois acredita que assim é impossível dele não amá‑la. Então, inicia uma grande maratona com seu pai, que é obcecado por essas produções. Suas notas incluem: achar um objetivo que os aproxime, descobrir os segredos do parceiro, causar ciúmes e entrar num triângulo amoroso, se meter em apuros para que tenham um momento de conexão, revelar suas vulnerabilidades, provar que é diferente de todas as mulheres, fazer um sacrifício em prova do seu amor, etc.



Por mais louco que pareça criar uma lista para conquistar o crush, a história segue de forma leve e divertida. É tão instigante que é impossível parar de ler, já que é claro que esperamos desde o princípio pelo que irá acontecer na hora do “fracasso”. Mas, a trama surpreende e traz também personagens muito cativantes, que fazem o leitor se envolver por completo na história.

Um grande destaque vai para o pai de Desi, que a cria sozinho desde o falecimento da esposa. A personalidade dele é adorável e o relacionamento entre os dois é muito forte, com diversos conselhos e companheirismo, o que não é comum nas histórias por aí. Os amigos de Desi também são incríveis, sempre dando apoio e ajudando a amiga.

Além disso, o livro aborda conteúdos importantes sobre a cultura e os costumes coreanos. No final, inclusive, há uma listinha com dicas dos melhores k‑dramas para os leitores assistirem, assim como Desi fez no decorrer da história. Se você acha que é uma típica novela americana, a própria personagem explica que não, muito pelo contrário, já que os doramas têm formato de minissérie (com episódios predeterminados) e variam muito em gênero, podendo ser por exemplo: romance, comédia, fantasia, suspense, etc.

A conclusão da trama deixa um pouco a desejar, já que a protagonista segue o seu plano fielmente ao ponto de ficar completamente cega para todo o resto. Ela comete uma série de erros e, ao tentar consertá‑los, tudo se desenvolve com tamanha facilidade que é impossível não questionar a veracidade de tudo. No entanto, a obra não deixa de ser válida, já que é uma bela história de amor e a leitura é muito agradável.

COMPARTILHAR